Quando a simples liderança já não é o bastante

*Marcela Claro

Os líderes estão na moda! Nunca antes se falou tanto em liderança, em ser líder, em diferentes tipos de líderes… Com isso surgem métodos, procedimentos e formas que facilitam a tão esperada transformação: de um simples mortal a um LÍDER ESPETACULAR.

Mas por que isso está acontecendo?

Talvez uma das respostas seja que as empresas precisam cada vez mais de profissionais com habilidades que vão muito além das que fazem parte específica da profissão. Atualmente, não basta ser médico, engenheiro, administrador ou advogado, qualquer que seja o profissional, além de possuir as competências técnicas específicas, ele precisa possuir a tal competência da liderança.
Porém, as universidades ou escolas profissionalizantes não possuem programas que desenvolvam esse tipo de competência. Assim, os profissionais buscam se desenvolver individualmente e por vontade própria ou, em alguns casos, recebem o apoio das empresas onde trabalham. Entretanto, não são todos os profissionais que estão dispostos a desenvolver esse comportamento.

Ser líder depende principalmente de uma decisão pessoal e intransferível de querer exercer a liderança. O que não é simples nem fácil. Ser líder exige esforço, determinação e desenvolvimento de capacidades como controle emocional, disciplina, comunicação, planejamento, visão sistêmica entre tantas outras. Muitos profissionais hoje estão repensando se querem, de fato, assumir posições de liderança, pois sabem a carga extra que terão de enfrentar.

As grandes e rápidas mudanças no mundo fizeram do planeta um lugar de alta complexidade e competitividade. Isso trouxe como consequência uma corrida para alcançar resultados que permitam a sobrevivência, o crescimento e a sustentabilidade de organizações, empresas e governos.

Esses desafios colocam o líder no centro do lugar mais sensível das empresas – aquele ocupado por pessoas – pois são elas que irão oferecer o verdadeiro diferencial que as empresas precisam para tornarem-se ainda mais competitivas.
Sendo assim, de todas as capacidades que um líder precisa possuir a mais importante é saber lidar com pessoas, ou seja, entender sobre comportamento humano. O líder é um catalizador de potencialidades, é ele que influencia a equipe para dar o seu melhor e alcançar os objetivos traçados. É ele que gera confiança, segurança e mantém o nível de excelência das equipes para que apresentem resultados além dos esperados, que surpreendam e ultrapassem todas as expectativas.

Ainda se ouvem vozes que afirmam que ser líder é uma atitude nata, da mesma forma que ser criativo. Ora, para ser líder é necessário desenvolver a competência de liderança, e isso nada mais é do que “liderar”, ou seja, um comportamento.

Todo e qualquer comportamento pode ser apreendido. Aliás, o ser humano é em si mesmo um conjunto de comportamentos apreendidos. Portanto, se você escolheu ser líder, terá que se aprimorar, aprender e, sobretudo, desenvolver as virtudes próprias daqueles que querem ser grandes.

Anime-se e encontre o significado que sustenta a sua decisão de ser líder. Mas não um líder comum, e sim um líder capaz de grandes realizações e resultados extraordinários para si próprio e para os outros. Boa sorte!

*MARCELA CLARO (marcelaclaro@alar.com.br) é Doutora e Mestre em Psicologia Organizacional e do Trabalho. Master Coach Senior, atua com palestras e consultoria nas áreas de Gestão de Pessoas, Gestão de Desempenho e Gestão por Competências, onde utiliza métodos próprios e eficazes que despertam, envolvem e motivam mudanças nas pessoas e empresas em que atua. Marcela também é autora do livro “Os Segredos do Líder Coach Coach – Quatro chaves para liderar pessoas e obter resultados extraordinários”. www.marcelaclaro.com.br
Informações para a imprensa
Agência +PLUS Comunicação
Jornalista responsável – Danielle Keslarek – MTB 65284
(55 11) 2378-5604 ou 99537-5604
danielle@pluscomunicacao.com.br