COMO LIDERAR A GERAÇÃO Y?

 

* Marcela Claro

O choque geracional está presente nas empresas! É cada vez mais comum encontrar líderes da geração X (antes da década de 80) perguntando como fazer para lidar com profissionais da geração Y (pessoas nascidas entre 1980 e 2000)?

Certamente, as mudanças acontecidas nas três últimas décadas têm produzido uma impressionante mudança de visão de mundo e sua consequente mudança comportamental. Afinal, comportamento humano é o conjunto de relações entre o ambiente e as ações dos indivíduos.

A maioria dos profissionais nascidos antes da década de 80 conheceu um mundo absolutamente diferente do atual. O ritmo de vida, as formas de relacionamento entre as pessoas, a quantidade de informações, procedimentos de trabalho, desejos e aspirações, entre muitas outras coisas eram absolutamente diferentes, a começar pela inexistência da internet popular.

Para essas pessoas, o sucesso profissional era concebido a médio e longo prazo e a vida seguia um roteiro mais ou menos estável e previsível. A vida como um todo seguia um curso que, dependendo dos esforços, do controle individual e do suporte social com que contasse, garantia o sucesso tão almejado: casa própria, filhos formados, família estruturada e aposentadoria segura.

Para a geração Y, o mundo gira rápido, o conhecimento teórico recebido nas escolas e universidades já não dão conta da realidade com a qual eles se relacionam no cotidiano. Crenças e valores são outros, assim como seus desejos e aspirações. O imediatismo faz parte do seu modus operandis.

A geração Y é impaciente, egoísta, acredita saber tudo (afinal tem um Iphone no bolso com todas as informações do mundo em segundos) isso os faz mais auto-suficientes e auto-confiantes. Eles querem obter resultados rápidos e sem muito esforço (eles pertencem à era do conhecimento e da tecnologia, não à da força de trabalho) o que lhes rendeu o apelido de “preguiçosos”.  Não se preocupam muito com os outros e por isso, talvez, são mais abertos às diferenças: cada um é cada um e cada qual é cada qual. Não sentem culpa pelo prazer, ao contrário, se deixam absorver por ele e rejeitam controles e regras formais.

A geração Y é tudo isso porque é fruto das lutas sociais dos seus antecessores que conseguiram dar uma tremenda guinada e oferecer a seus filhos um mundo muito mais confortável, com menos esforço e recheado de soluções mágicas frutos da tecnologia. Entretanto, os membros dessa geração são também muito mais criativos, ousados, abertos, espontâneos, e empreendedores.

Os Ys são muito diferentes dos seus pais e colocam em xeque mate muitos líderes despreparados para compreender as suas características e necessidades e pouco dispostos a flexibilizar seus pontos de vista ou mudar suas crenças e atitudes. É comum ouvir durante os meus treinamentos e palestras as seguintes perguntas:

Como lidar com eles?

É preciso lidar com naturalidade, de igual para igual. Aproxime-se e conecte-se de um jeito muito especial. Busque compreender seu modelo e sua visão de mundo a partir da escuta. Ouça na essência, olhe nos olhos, se coloque no lugar dele, viva seu mundo, compartilhe suas inquietações e, sobretudo, deixe-o sentir-se seguro para poder extrair o melhor dele. Aguce sua criatividade, parabenize constantemente seus logros. Utilize um vocabulário o mais próximo possível do dele. Busque identificação de gestos e posturas para que ele possa reconhecê-lo como igual e confiar em você.

Como gerir a geração Y?

Ofereça desafios e autonomia (lembre que eles gostam de se sentirem poderosos) e ofereça também suporte e orientação. Mais do que ditar regras unilateralmente, faça acordos e pactos onde sejam respeitados limites de ambas as partes. Busque sempre a participação nas decisões por menor que seja.  Fixe, sempre que possível em conjunto, prazos para entrega do trabalho. Mostre perspectivas de futuro próximo e festeje cada conquista por menor que seja. Feedbacks constantes são essenciais para evitar sair do trilho e motivar para a melhoria contínua e alcance de resultados.

Como passar conhecimento para esse grupo tão especial?

Passe sempre de uma forma descontraída e de preferência divertida. Entretanto, não confunda divertido apenas com o sinônimo de risos e gargalhadas. Divertido também pode ser o desafio da pesquisa, a resolução de problemas, a descoberta de enigmas ou a resposta à questionamentos. Utilize vários recursos de preferência alta tecnologia. Utilize também a criatividade para criar experiências diferenciadas e surpreendentes. Tenha sempre um roteiro claro do que você espera que ele aprenda e de como esse conhecimento pode ser aplicado à realidade.

Como engajar os representantes dessa geração?

Lembre sempre que esse grupo de profissionais é fruto da mudança. Portanto, promova mudanças e movimentos constantes, inspiradores e motivadores. Por pequeno que seja não importa, esses profissionais precisam sentir o movimento das coisas. Imprima ritmo nas atividades, desperte o interesse a partir da participação nas decisões. Faça que a pessoa se sinta pertencente ao grupo o tempo todo.  Crie expectativas de sucesso verdadeiro e deixe-o saber que ele faz parte dele. Peça ajuda, eles adoram sentir que podem contribuir e ajudar a resolver um problema. Crie um ambiente de alegria, descontração e entusiasmo. Valorize, valorize e valorize!

No final, lembre que depois de tudo isso o profissional da geração Y vai querer mais. Vai querer buscar outros mares para navegar, outras terras para explorar e outras estrelas para brilhar. Então, compreenda que eles são assim, e que você como líder terá um período de tempo de dois ou três anos fazendo o melhor para reter esse profissional. Depois disso, se você fez um excelente trabalho terá um contingente de outros excelentes profissionais Ys querendo passar uma temporada com você e  contribuir com seus projetos, caso contrário, será o concorrente que irá atrair e ficar com as melhores equipes de profissionais Ys, o que certamente será uma catástrofe para você e sua empresa.

Aceite, o mundo mudou, as pessoas mudaram! E você?

 

*MARCELA CLARO (marcelaclaro@alar.com.br) é Doutora e Mestre em Psicologia Organizacional e do Trabalho. Master Coach Senior, atua com palestras e consultoria nas áreas de Gestão de Pessoas, Gestão de Desempenho e Gestão por Competências, onde utiliza métodos próprios e eficazes que despertam, envolvem e motivam mudanças nas pessoas e empresas em que atua. Marcela também é autora do livro “Os Segredos do Líder Coach Coach – Quatro chaves para liderar pessoas e obter resultados extraordinários”. www.marcelaclaro.com.br

Informações para a imprensa
Agência +PLUS Comunicação
Jornalista responsável – Danielle Keslarek – MTB 65284
(55 11) 2378-5604 ou 99537-5604
danielle@pluscomunicacao.com.br